Está aqui

A escolha que recaiu sobre este escritório, aconteceu porque, sempre que questionavam qual a escolha do projectista a fazer, a resposta , foi sempre a mesma. Sorte a nossa…ou mérito.
O programa solicitado e apetência por soluções de materiais inovadores e com referência à arquitectura industrial e preferência de vivenciar espaços fluidos e contemporâneas agradou-nos imenso.
Por sorte o edifício a norte um colectivo com a implantação de um bloco de garagens no tardoz do edifício que se prolongava imenso no terreno, foi uma ajuda a materializar a ideia que fomos trabalhando para a casa .
O edifício vive muito virado para si mesmo desvalorizando a articulação de espaços que “serpenteiam” agarrando-se sempre á preexistência, onde uma sucessão de pátios, e percursos que variam muito com o trabalho da luz , resultando num edifício morfologicamente misto mimetizando o edifício vizinho. Acabou por ser predominantemente térreo mas com um piso superior referenciado ao imaginário dos sótãos .
Da rua apenas de vê o rasgão horizontal onde se situa a garagem. E o remate com o céu é em chapa ondulada, interceptada em vários planos.
Ainda recordo divertido o comentário de uma vizinha “tenho tanta pena deste casal e dos filhos tão boas pessoas, e com uma casa tão feia”…
A ideia da vizinha mudou quando foi convidada a visitar a casa quando estava já quase concluída, rendendo-se completamente aos espaços, ainda recordo o ar de espanto e o brilho nos olhos ao percorrer os espaços, “nunca vi nada assim, quem diria o que está cá dentro”
Muito recentemente revisitei a casa e fico muito agradado quando vejo uma família feliz e ainda muito entusiasmada com a vivência que a casa lhes proporciona.