Está aqui

Neste caso estamos perante uma situação de transição e ajuste de mancha construtiva, pois o terreno está ao limite de zona industrial e de Zona Habitacional, “tipo I” prioritariamente de habitações unifamiliares isoladas geminadas ou em banda. A poente temos a fachada cega de 5 metros de altura uma barreira física e visual significativa, a nascente uma serie de moradias em banda de pequena dimensão e a sul a rua. O poente já está resolvido encostado à fachada vai ser criado um maciço arbóreo com diversas espécies de forma a criar uma volumetria verde diversificada e agradável vizinho da cozinha e telheiro onde se vai localizar a churrasqueira. A nascente houve a necessidade de proteger as vistas das casas existentes e a sul a exposição visual ocasionada pelo arruamento, dai a opção de uma solução em “L” , virada a sul com o cuidado acrescido de proteger de olhares indiscretos provenientes da rua. Existiu especial cuidado na definição do programa, onde a escada centraliza a solução e permite circular para todos os núcleos da habitação, a garagem e o escritório a norte a sul e poente a cozinha e zona de serviços nomeadamente a lavandaria e despensa, a sul e com três frentes situa-se a sala. A defesa com a fachada é efectuada por uma pergula que “abraça” a sala constituindo a volumetria da casa um “u” onde se situa o pátio.