Está aqui

Na frente colocámos os espaços mais práticos nomeadamente a garagem e a
cozinha , a garagem como relação realista da rua com o lote , a rua tem
mais uma função de estrada de velocidade e menos de circulação do peão
ao mesmo da bicicleta logo fica logo ali o carro num dialogo imediato e
pragmático, na mesma lógica a cozinha foi arrastada para a pele interior
exterior da fachada do edifício , para essa decisão respondeu também muito
a hierarquia de valores e importância dada pelos donos de obra a cada uma
das funções do programa.
Resultou que a cozinha ficou na frente da edificação, esta decisão tão
“paradigmática” , que inicialmente me fez alguma confusão acabou por
resultar , pois todo e espaço interior tem o comum de partir do conceito de
espaço amplo , apenas “filtrado” por vãos interiores normalmente
separados por portas de correr.