Está aqui

Trata-se de uma habitação inserida em loteamento com áreas muito generosas
e localizada na Quinta da Patela em situação de gaveto. Por insistência
da dona de obra a solução tinha que ter referências "tradicionais" (ou lá
o que isto quer dizer) . Agarrei o trabalho sobretudo porque desde muito
cedo a sugestão de criar um pátio interior como se do exterior se tratasse
foi aceite, e também porque os donos de obra são pessoas que considero
imenso.

O desafio teve sucesso, esta obra de carácter muito ecléctico, imperdoável
do ponto de vista formal para alguns colegas, insere-se numa serie de
projectos (excepção) onde a experimentação dos espaços é feita sem
qualquer complexo. Confesso no entanto que acaba sempre por ser um processo
muito "doloroso" pois o caminho entre projectista e dono de obra, tem à
partida direcções opostas, obrigando a muito esforço para tão pouco
resultado. O que mais me incomodou foi não ter conseguido "converter" em
absoluto A componente feminina dos donos de obra que a dita "arquitectura
tradicional" não passa de decoração, e como tal de "mariquices".