Está aqui

A elaboração de maquetas é extremamente importante, como forma de comunicar a solução ao cliente, que na maior parte das vezes não tem capacidade para interpretar os desenhos técnicos. Apesar de significar um esforço acrescido no processo de trabalho até à solução final, è um elemento decisivo, e permite avançar com alguma segurança, sobretudo para o dono ou donos de obra.

A dificuldade entre o profissional de arquitectura e a realidade que o envolve, pode tornar-se um desafio muito interessante. Novos caminhos e experiências podem surgir. Quer nos programas, quer em termos formais e estéticos. A ideia da "casa Portuguesa" uma mentira que foi combatida pelos arquitectos portugueses modernos mostrando o absurdo da tese com se fosse possivel criar um modelo ainda por cima de cariz rural que tudo resolve, mas que foi absorvida por todos os escalões sociais. Obriga a uma luta e esforço para mudar tal coisa, que só existe por na altura própria não ter sido possivel a uma classe lotar contra isso muito provávelmente pela falta de "soldados disponiveis"

Encontra-se em fase final de Projecto de Licenciamento diversos Lotes Habitacionais que no conjunto formam um Quarteirão Habitacional, situado na Quinta do Alqueidão, próximo da EB23 de Ilhavo e do Museu Maritimo de Ilhavo e ainda do Centro de Saude. Sendo propriedade de diversos promotores estes juntaram esforços para possibilitar um desenho de conjunto dos diversos lotes entregando todos os projectos ao mesmo Gabinete de Arquitectura, de forma a que a solução resultasse com unidade de conjunto e harmonia. Cada Lote tem entre seis e doze apartamentos, num total de seis lotes. O promotor principal é a Emurbal Empreendimentos Urbanos L.da

Encontram-se concluidas as moradias promovidas pela Firma HABITAVEIRO Construções Urbanas L.da na Rua Das Cancelas, quatro habitações unifamiliares com área de aproximadamente 320 m2, acabamentos de topo e áreas bastante confortáveis. A sensação de abertura dos espaços é equilibrada atraves da introdução de elementos espaciais, para respeitar a intimidade dos espaços. O quarto principal assim como a sala e espaços comuns reflectem um controle ainda maior criando uma atmosfera envolvente. Os interiores de requinte combinam materiais sofisticados com elementos simples.

Jardins Da Patela, localizados em Vilar, S. Bernardo , Aveiro com promoção da Firma Ribeiro e Escala l.da em fase de acabamentos . Como referência fácil para localizar o local temos o Restaurante Baptista do Bacalhau. Embora com soluções particulares, combinam-se estratégias de design que usam o espaço da melhor forma, partilham cinco aspectos essenciais para o design de interiores de sucesso e as caracteristicas mais importantes de uma casa: acabamentos funcionais, cor, paineis móveis, limite e exterior. O jardim interior e a forma como se articula e define os espaços interiores, faz-nos lembrar os "open-spaces" mantendo apesar de tudo a privacidade entre divisões.

Loteamento promovido pela firma HABITAVEIRO Construções Urbanas L.da e localizado no gaveto das Ruas Tomás de Barros Queiroz e Quinta Nova nas Ervosas, S. Salvador Ilhavo encontra-se na fase de adjudicação de infraestruturas. São 17 lotes de moradias unifamiliares com áreas que vão do 220 m2 a 240m2 com garagem, anexos e telheiros, oito destas são geminadas e sete completamente isoladas, de forma ter uma oferta para duas das tipologias mais procuradas. Os afastamentos ao arruamento são bastante confortaveis com amplas zonas ajardinadas e estacionamento perpendicular à via o que permite optimizar os lugares de estacionamento. Além das boas acessibilidades o local é aprazivel pois a envolvente além de terrenos agricolas tem apenas moradias.

As moradias da Coutada Promovidas pela Firma Telmo Construções L.da encontram-se concluidas, estando em inicio de construção o Loteamento da "Quinta da Luz", onde a procura de novas qualificações tipologicas e topologicas continua a ser a preocupação principal. Ambas situam-se no Concelho de Ilhavo, mas têm uma grande proximidade ao municipio de Aveiro, pois curiosamente estão no seu limite. Faz-se arquitectura em primeiro lugar porque se gosta das pessoas, para tal tem que se perceber as suas necessidades anseios, caprichos referências entre outras. Só depois se parte para o desenho e é ai que muitos dos "clichês" têm que ser reinterpretados e transformados qualificando assim os espaços.

Páginas