Está aqui

 

O acesso de navios oscilou ao longo dos tempos mas , de uma forma geral , registou acentuada descida, além de a estagnação das águas provocar a morte da fauna píscicola e ocasionar grandes doenças com a consequente diminuição da população ( ). A formação das ilhas e canais da ria foi acelerada nos momentos em que a barra esteve fechada, aumentando drasticamente a sedimentação em toda a laguna . O controle das zonas alagadiças tornou-se fundamental, não só para a ...

 

A primeira referencia escrita que se conhece sobre Aveiro é a doação de Mumadona Dias datada de 26 de Janeiro de 959 . Ai são indicadas "terras in alavario et salinas que ibidem comparavimus" ( ) , o que confirma as espectativas de uma produção fixa , com vida sedentária . Aveiro dividia a sua importância com Esgueira e Sá. Esta ultima possuía a mais antiga confraria da região datada do século XII , cujo objectivo era a assistência religiosa e material aos confrades ( ).

 

Pode afirmar-se que a cidade de Aveiro surge do cruzamento de uma via de circulação de Sul para Norte/ Nascente , com a laguna , que se constituia , por sua vez , como importante via de circulação aquática marginal. Neste contexto não é de estranhar a impotância dada ao ponto de confluência - Largo de S. Miguel - e o outro largo situado na outra margem da ria , que já no século XV apelidavam de "Praça". O largo de S. Miguel é a actual Praça do Municipio .

 

Quando D. Pedro decide construir as muralhas , o traçado fica definido por natureza, acompanha todo o morro e abarca uma área, como era habito na época , superior à ocupada por construções , acautelando assim uma futura expansão da cidade. Assim se justifica que o limite sul da muralha seja construído segundo um traçado linear recto. A principal via intramuros é rua Direita , que parece estar na base de...

 

Este povoado estável, teve por base económica a laguna e o mar, com um importante tráfego marítimo, a produção de sal e ainda a exploração dos solos agrícolas situados a sul da cidade. As duas Portas mais importantes, da muralha, eram aquelas que serviam o eixo constituido pela rua da Costeira e a rua Direita - de seu nome Porta da Vila a Sul e Porta da Ribeira a Norte . A porta da vila, onde em frente da qual se situava a Capela do Espírito

 

A nascente da porta da Ribeira surge a porta do Côjo, ou porta do cais, sugestivo nome do destino dado ao local. Há aliás várias referências de que este local foi apelidado de esteiro das Azenhas, no século XVI ( ) pelo que, podemos concluir que além de servir de cais foi desde muito cedo local escolhido para a localização de actividades económicas de alguma importância. No troço de muralha recto, mais a sul, existiam além da Porta Da Vila

 

Intramuros vão situar-se vários conventos, importantes para a vida da cidade e ainda na estruturação da malha urbana. O convento de S João Evangelista das Carmelitas descalças ( que hoje se encontra amputado pelas instalações da PSP ) é um exemplo. No espaço confinado pela cerca do Mosteiro de Jesus, ( actualmente transformado em museu ) , surgiu um núcleo de olarias aproveitando um pequeno ribeiro que por ai passava .

 

Impulsionada pelas actividades ligadas à ria, surge um novo núcleo apelidado de "Vila Nova", a Norte do Canal Central. Neste local , surge uma próspera classe marítima, resultado das actividades propriciadas pela laguna e mar . Começam a ser claros dois núcleos urbanos, sendo um tradicional, e nobre, e o outro, extra-muros, constituído por gente dedicada às actividades marítimas, sobretudo ás ligadas à exploração de sal e pescado, mas também ao comércio maritimo.

 

O dia 3 de Abril de 1808 , marca uma mudança radical na vida da cidade , com a abertura definitiva da barra. Termina assim um longo período iniciado em meados do século XV e que atinge o limite nesta altura com a cidade económicamente depauperada pela perda de comércio maritimo e quase sem população em consequência das doenças provocadas pelas águas estagnadas da ria ( ). A inexistência de pedra na região obriga ao desmanche da muralha para ...

 

A ria vai perder alguma importância como meio de transporte, graças à grande quantidade de estradas construídas como por exemplo as estradas: Aveiro-Barra(1855) , Aveiro-Agueda(1862) , Aveiro - Oliveirinha(1863), Aveiro - Mogofores(1864), Aveiro-Viseu(1965), Aveiro-Ilhavo(1867). A acrescentar a tudo isto, constroi-se o caminho de ferro(1864). O comboio vai ser uma ligação real com o mundo, exterior abrindo as portas ao progresso. Anteriormente à construção da Avenida Central ( actual Avenida Dr. Lourenço Peixinho) ...

Páginas