Está aqui

Este é um dos diversos trabalhos que se está a realizar em aço leve .
A palavra Steel significa aço , é a matéria prima usada para a construção. Light é usado para significar que no seu uso não temos maquinaria pesada.
LSF significa light stell framing (construção em aço leve)
Normalmente usa-se para pequenos edifícios de dois no máximo três pisos. Apresenta características térmicas e acústicas muito boas.
A primeira tentativa para o uso generalizado deste tipo de edifícios foi dada à 20 anos em Portugal, teve algum sucesso mas relativo , pois as mentalidades não se mudam de um dia para o outro .
Actualmente vejo muita vontade em retomar o sistema .

Neste caso a obra está perante a colocação do barramento betuminoso de protecção das vigas de fundação, fundamental para evitar humidades por capilaridade.
Os Materiais betuminosos são compostos por betume que por norma é de cor preta ou escuro de cor sólido.
É um material viscoso com uma consistência cimenticía.

Pormenor de tela neste caso da Weber para isolar a base onde vai ser assente a pedra de soleira e posterior caixilharia.
Acabamentos obra da rua das Areias de Vilar.
Nesta caso usou-se o Weber-Dry que permite

Encontra-se neste momento a ser descofrada a casa terrea , localizada na rua Direita, freguesia de Aradas, municipio de Aveiro , da promoção da Inforvivenda. Embora sendo uma casa predominantemente térrea tem uma suite no piso superior para poder disfrutar das vistas do esteiro do moinho, a sul. A vista estende-se até à Igreja de Verdemilho no outro lado do vale. Para maior conforto optou-se também por localizar a garagem em cave possibilitando a desobstrução das vistas, deixando o volume da garagem de ser um obstáculo. Já começa a ser perceptível a volumetria geral do edifício.
Estudo cromático de casa isolada , localizada na freguesia de Fermentelos , município de Águeda. Está na fase final de construção, faltando a carpintaria e redes interiores e exteriores. Altura ideal para fazer o ajuste cromático quer dos interiores quer dos exteriores. Ilustrações sobre fotografias do actual. Basicamente existem duas hipóteses ou aposta-se nos tons quentes dos castanhos e beijes, ou nos cinzas. O branco é sempre a considerar. Como dizia um artista plástico Portuense " Os arquitectos na duvida pintam tudo de branco"

Trata-se de uma casa situada em loteamento , geminando a norte com habitação de características similares. A urgência na construção prendeu-se com o facto de se pretender que esta seja a construção que vai “ditar as regras” das casas a surgir no futuro, mantendo assim um fio condutor em toda a estruturação formal do loteamento. As áreas de implantação da casa assim como a área de construção total são muito curtas, não chegando aos 180 m2, o que em vez de ser uma condicionante, foi um desafio. O programa consiste em dois quartos no piso superior com suite, ou seja quartos com casa de banho privativa e um escritório, este é separado dos restantes espaços por paredes e acessos de vidro translucido. No piso térreo, ou rés-do-chão, como preferirem temos um quarto a casa de banho acessível cozinha e sala. A estratégia foi criar uma solução inovadora mas ao mesmo tempo respeitadora das regras do loteamento, afirmando-se a solução mas com alguma rebeldia, como que desafiando as futuras construções ainda a construir.

Neste caso como em muitos outros partiu-se para o projeto com os clientes já convencidos por outras obras que visitaram, de qual percurso a seguir no projeto. Foi neste caso uma mais valia, pois permitiu avançar mais cedo e com outra firmeza de solução adotada, permitindo também uma solução mais arrojada, sem ter de estar sistematicamente a justificar a solução. O existente foi um estranho mas conveniente aliado , que possibilitou e justificou grande parte da solução.

O existente foi um estranho mas conveniente aliado , que possibilitou e justificou grande parte da solução. Encostado ao terreno temos uma empena cega de dois pisos a nascente , assim como no tardoz do terreno uma volumetria em piso único que corresponde a espaços de estacionamento.

Colocou-se uma volumetria para remate de ambos os encostos, no primeiro volume situou-se a garagem que faz a fachada principal do edifício assim como no piso superior onde temos um espaço de multifunções, em ambos recorreu-se a fachada ventilada de chapa micro-canelada , como mimetismo do material de remate da construção de empena. No segundo volume está a parte social da habitação, entre ambas um amplo jardim interior que separa a parte íntima da social. Do hall de entrada tem-se uma vista para o jardim interior assim como das divisões mais importantes da casa.

Aqui o desafio foi…nós queremos uma casa única distinta das que existem e das que já fizeste…este desafio é cada vez mais recorrente e isso agrada-me… Nunca perdendo o lado funcional, trabalhou-se sempre os interiores e exterior em simultâneo muito na linha de trabalho do contemporâneo tipo escola do Porto.

Páginas