Está aqui

Trata-se de uma casa situada em loteamento , geminando a norte com habitação de características similares. A urgência na construção prendeu-se com o facto de se pretender que esta seja a construção que vai “ditar as regras” das casas a surgir no futuro, mantendo assim um fio condutor em toda a estruturação formal do loteamento. As áreas de implantação da casa assim como a área de construção total são muito curtas, não chegando aos 180 m2, o que em vez de ser uma condicionante, foi um desafio. O programa consiste em dois quartos no piso superior com suite, ou seja quartos com casa de banho privativa e um escritório, este é separado dos restantes espaços por paredes e acessos de vidro translucido. No piso térreo, ou rés-do-chão, como preferirem temos um quarto a casa de banho acessível cozinha e sala. A estratégia foi criar uma solução inovadora mas ao mesmo tempo respeitadora das regras do loteamento, afirmando-se a solução mas com alguma rebeldia, como que desafiando as futuras construções ainda a construir.

Neste caso como em muitos outros partiu-se para o projeto com os clientes já convencidos por outras obras que visitaram, de qual percurso a seguir no projeto. Foi neste caso uma mais valia, pois permitiu avançar mais cedo e com outra firmeza de solução adotada, permitindo também uma solução mais arrojada, sem ter de estar sistematicamente a justificar a solução. O existente foi um estranho mas conveniente aliado , que possibilitou e justificou grande parte da solução.

O existente foi um estranho mas conveniente aliado , que possibilitou e justificou grande parte da solução. Encostado ao terreno temos uma empena cega de dois pisos a nascente , assim como no tardoz do terreno uma volumetria em piso único que corresponde a espaços de estacionamento.

Colocou-se uma volumetria para remate de ambos os encostos, no primeiro volume situou-se a garagem que faz a fachada principal do edifício assim como no piso superior onde temos um espaço de multifunções, em ambos recorreu-se a fachada ventilada de chapa micro-canelada , como mimetismo do material de remate da construção de empena. No segundo volume está a parte social da habitação, entre ambas um amplo jardim interior que separa a parte íntima da social. Do hall de entrada tem-se uma vista para o jardim interior assim como das divisões mais importantes da casa.

Aqui o desafio foi…nós queremos uma casa única distinta das que existem e das que já fizeste…este desafio é cada vez mais recorrente e isso agrada-me… Nunca perdendo o lado funcional, trabalhou-se sempre os interiores e exterior em simultâneo muito na linha de trabalho do contemporâneo tipo escola do Porto.

Aqui o desafio foi…nós queremos uma casa única distinta das que existem e das que já fizeste…este desafio é cada vez mais recorrente e isso agrada-me… Nunca perdendo o lado funcional, trabalhou-se sempre os interiores e exterior em simultâneo muito na linha de trabalho do contemporâneo tipo escola do Porto.

Sede de Associação Cultural e Desportiva de Fermelâ – ACADOF Mais do que um projecto de Arquitectura foi um desafio assumido juntamente com a direcção da associação. A associação encontra-se numa terra algo envelhecida e onde se constata a fuga dos mais novos para o centro da Cidade de Estarreja ou até para Aveiro, por outro lado o associativismo já teve melhores dias ... Assim sendo e porque o entendimento e forma de pensar e abordar a questão era partilhada tanto pelos projectistas como pela Direcção partiu-se para uma proposta cujo principio era criar uma nova centralidade na Freguesia com a criação de um Ginásio com piscina de hidromassagem e um bar/restaurante e salas de apoio tudo a confluir num pátio aberto para o arruamento, como que a convidar para entrado no espaço.

Sede de Associação Cultural e Desportiva de Fermelâ – ACADOF Mais do que um projecto de Arquitectura foi um desafio assumido juntamente com a direcção da associação. A associação encontra-se numa terra algo envelhecida e onde se constata a fuga dos mais novos para o centro da Cidade de Estarreja ou até para Aveiro, por outro lado o associativismo já teve melhores dias ... Assim sendo e porque o entendimento e forma de pensar e abordar a questão era partilhada tanto pelos projectistas como pela Direcção partiu-se para uma proposta cujo principio era criar uma nova centralidade na Freguesia com a criação de um Ginásio com piscina de hidromassagem e um bar/restaurante e salas de apoio tudo a confluir num pátio aberto para o arruamento, como que a convidar para entrado no espaço.

Este empreendimento está dividido em dois núcleos, que separam as seis moradias, juntando-se em três moradias cada banda. Cada moradia é articulada pela escada que atravessa os 3 pisos, a cave onde está o estacionamento e amplo arrumo, o primeiro piso com a sala cozinha e quarto de apoio e por último o terceiro piso tem três quartos todos privativos tendo um deles suite (quarto, casa de banho, vestiário). Os materiais usadas são os “tradicionais” na zona ( a tradição quando não existe inventa-se ), a tijoleira de cor natural raiada e o reboco além de alumínio . O local do empreendimento é Angeja, uma freguesia de Albergaria, que tem grande proximidade com Aveiro.

Este empreendimento está dividido em dois núcleos, que separam as seis moradias, juntando-se em três moradias cada banda. Cada moradia é articulada pela escada que atravessa os 3 pisos, a cave onde está o estacionamento e amplo arrumo, o primeiro piso com a sala cozinha e quarto de apoio e por último o terceiro piso tem três quartos todos privativos tendo um deles suite (quarto, casa de banho, vestiário).

Páginas